quinta-feira, 18 de fevereiro de 2021

Ciclo de Vespa Braconídea Parasitoide de Acharia sp. (Limacodidae) em Minas Gerais

Era uma vez uma lagartinha Acharia sp. chamada Risoleta que, junto com suas irmãs, comia folhas de Dracena vermelha. Mas ela era rebelde, e junto com suas duas irmãs mais chegadas, decidiu que não queria mais dividir a uma folha com suas outras irmãs. Elas migraram para uma folha mais alta e estavam felizes comendo sem ter que disputar espaço com as outras irmãs esfomeadas.

Porém, azaradas, acabaram dentro de um pote com um pedaço de folha. Risoleta, certo dia, parou de comer e ficou parada na tampa do pote. De um dia para o outro, foi possível ver que uma larva gordinha habitava em sua "barriga". Risoleta ainda se mexia, mas parou de se mexer em pouco tempo. Também perdeu sua coloração vibrante e a capacidade de causar queimaduras em mãos humanas descuidadas e/ou curiosas (err...rs!). A larva devorou as entranhas da pobre Risoleta!

A larva empupou rapidamente e, com o passar do tempo, escureceu!E numa bela tarde chuvosa, saiu de dentro da barriga da pobre Risoleta, esticando suas asas e pernas. Voou pela janela em busca de uma cara-metade para dar continuidade ao seu ciclo de vida parasitando Risoletas, Maricotas e Genovevas por aí...
TaMi de Itaguara, Minas Gerais.
Achei que estava fácil saber quem é o parasitoide, mas não tá não. Ela é Braconidae, mas o modo que ela se hospeda na lagarta é bem diferente daquele de Cotesia (Microgastrinae), no qual muitas vespas parasitam a lagarta e fazem casulinhos de seda no exterior.

Nenhum comentário:

Postar um comentário