quinta-feira, 24 de setembro de 2020

"Centavo D'água" em Minas Gerais

Oi Cesar!
Estou te mandando as fotos daquele Psephenidae, lembra dele? Extremamente pequeno. Estava numa folhinha de Clitoria ternatea.

Encontrei no Planeta Invertebrados, um pouco sobre ele.
TaMi de Itaguara, Minas Gerais.
Sim, me lembro bem. Segundo Planeta Invertebrados:
Somente suas larvas são aquáticas, medindo cerca de 6 mm (adultos são ainda menores), possuem o corpo muito achatado e quase circular, com um aspecto segmentado que podem lembrar isópodes e também os extintos trilobitas. O aspecto achatado das larvas permite um menor atrito com a correnteza. Os adultos são menos achatados e cobertos por uma fina pubescência. Mergulham na água para depositar seus ovos em rochas, pouco abaixo da superfície. Larvas são encontrados comumente sob pedras ou entre as folhas acumuladas nos riachos. Alimentam-se de matéria orgânica e algas perifíticas em biofilmes, com hábitos noturnos. Algumas espécies têm um estágio larvar bastante longo, podendo chegar a dois anos em uma espécie australiana.

Pelo nome em inglês water penny, estou chamando de "centavo d'água".

quarta-feira, 23 de setembro de 2020

Mariposa Lobeza em Santa Catarina

Boa noite, César. Poderia ajudar na identificação desta mariposa? Em Guabiruba SC, Parque Nacional da Serra do Itajaí. É uma Noctuidae ou Notodontidae? Grata desde já. Abraços.
Janeth Coutinho.
Segunda opção, acredito que seja Lobeza aglone (Heterocampinae).

Lagarta Desconhecida no Paraná

Boa tarde amigo ,obrigada pela atenção!! E esta lagarta quem seria, foi encontrada numa folha de abóbora em Santo Inácio-PR
Maria Fachini Agostinho.
Eu não estou nem com muita ideia de qual seja a família desta lagarta, tem mais fotos dela? Ela é uma lagarta bem distinta, espero que consigamos sua identificação.

Lagarta Lasiocampídea em Brasília

Olá novamente César, vim aqui em busca de uma salvação kkkkk estava em uma trilha e encontrei esta lindinha imóvel em um tronco, infelizmente não lembro qual era a planta hospedeira, sou de Brasília/DF
Guilherme Augusto.
Aqui eu vou deixar na família Lasiocampidae. Eu até encontrei uma que combine com ela, mas sem identificação. PyBio tinha uma semelhante a esta, porém avermelhada, está fora do ar, mas aparece nas buscas de Euglyphis, mas eu acho que tem mais afinidade com Tolype (Macromphaliinae).

terça-feira, 22 de setembro de 2020

Tatu-Bolinha com Iridovirose em Minas Gerais

Olá César!! Achei um tatuzinho com uma mancha azul iridescente que pode ser causada pelo Invertebrate iridescent virus 31:
Tami de Itaguara, Minas Gerais.
Pelo estudo italiano de Lupetti et al. (2013), este é um nível de infecção intermediária por IIV-31, que representa o período de duas a três semanas de infecção. Antes disso, a descoloração é vista apenas na face ventral do animal e após isso, de quatro a cinco semanas, ela toma todo o corpo e o indivíduo sobrevive de seis a oito dias. A espécie deve ser o tatu-bolinha Armadillidium vulgare (Crustacea: Malacostraca: Peracarida: Isopoda: Oniscidea: Holoverticata: Armadillidiidae), espécie muito comum, mas originária da Europa.

Pelo visto, o primeiro I pode ser interpretado como Isopod, Insect ou Invertebrate.

Ciclo de Mariposa Leucanopsis em Minas Gerais

Oi Cesar! Terminei o ciclo de uma Erebidae bem parecida com essa. Ela estava comendo braquiária e grama-esmeralda:
TaMi de Itaguara, Minas Gerais.
Apesar da larva ser bem mais escura e do adulto estar com as asas mais "abertas", não duvido que seja exatamente a mesma Leucanopsis sp. (Erebidae: Arctiinae: Arctiini: Phaegopterina) que você completou o ciclo em junho, levando novamente ao ciclo do Tiago, que se assemelha muito com esta.

Mariposa Crinodes em São Paulo

Oi Cesar,

Tudo bem?

Estou tentando identificar esta mariposa fotografada em Santo Antônio do Pinhal (SP), dia 17-9-2020.

Estou com a dúvida entre estas duas espécies:

1-Crinodes ritsemae (Butler, 1878)
2-Crinodes striolata (Schaus, 1901)

Agradeço qualquer informação que ajude na correta ID
Daniel.
Eu consegui uma informação em Miller, Daniel H. Janzen, Winifred Hallwachs (2006):
Os adultos dessas duas espécies (C. besckei e C. ritsemae) são facilmente distinguidos, uma vez que C. ritsemae tem uma mancha ocular falsa (ou falsa mancha fúngica, se preferir) no meio das asas adianteiras. Este traço está ausente em C. bescki. Ambas também ocorrem, mas muito raramente, na floresta tropical ACG, onde se alimentam de Gouania polygama e de outra Gouania, junto com a muito maior Crinodes striolata, cuja lagarta se assemelha a uma C. ritsemae gigante.

Não temos as larvas, o que ajudaria muito, mas temos que C. striolata (Notodontidae: Dudusinae: Dudusini) é muito maior do que C. ritsemae. O quanto? Apenas por dois exemplares não é o ideal, mas em Discover Life nós temos uma C. ritsemae com asas de 18 mm e uma C. striolata com asas de 42 mm! Agora é contigo.

Ela está acompanhada de dois minúsculos cicadelídeos.

Daniel: Oi Cesar,

Está era uma mariposa de mais de 4 cm. Então seria Crinodes striolata (Schaus, 1901)

Obrigado pela ajuda.

Abs,
Daniel

Mariposas Geometrídeas em Minas Gerais

Olá novamente César! Dessa vez trago mariposas dos dias 10/04/2020 e 11/04/2020. Não consegui um bom palpite para elas. O que você acha? Desde já agradeço!
Jefferson Coelho de São Pedro do Suaçuí, Minas Gerais.
São só dois indivíduos, certo? Elas tinham coloração diferente? Se não, qual está mais fiel? Eu encontrei uma que me parece parece ser muito próxima, apesar de ser de um azul intenso, primeiro sem marca d'água em um site turco, depois com marca d'água e informação de ser do Espírito Santo. Só que esta me confundiu mais ainda, estou preferindo não dar nem palpite da subfamília, apenas a família Geometridae.

segunda-feira, 21 de setembro de 2020

Mosca Lauxaniídea no Rio Grande do Norte

Olá, encontrei essa mosquinha no quintal da minha casa, junto a um local que acumula muita matéria orgânica (folhas das árvores). Ela é muito pequenininha, seria possível indentificá-la? O registro foi feito em Parnamirim - RN, região pertencente ao bioma Mata Atlântica.
Víctor Paiva.
Esta é uma mosca da família Lauxaniidae e ela está identificada na Esalq como Minetlia sp. 2, que deve ser uma corruptela de Minettia (Lauxaniinae). Eu não sei, o CTFB está inacessível, mas acho que poderia ser Homoneura, portanto minha melhor identificação fica na família.

Besouro Gymnetis em São Paulo

Boa tarde,César
Gostaria da sua ajuda na ID deste besouro.
Foto tirada em Mairiporã-SP.
Evaldo Resende.
Este é Gymnetis (Paragymnetis) chalcipes (Cetoniidae/Scarabaeidae: Cetoniinae: Gymnetini: Gymnetina).