sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Mariposa Gamelia em São Paulo

Pra ilustrar o que acabo de dizer sobre as asas inferiores de Saturniidae: Hemileucinae, esta é uma Gamelia, creio que fêmea de G. catharina. É preciso cuidado, pois as veias das asas de lepidópteros são bem sensíveis.

Mariposas do Piauí

Nesta mesma pousada, em Ubajara, encontrei uma três mariposas...
Mariahelena Ferreira da Costa de Teresina, Piauí.

A primeira é Saturniidae: Hemileucinae. Com estas mariposas, é sempre bom tentar induzi-las a mostrar as asas inferiores, que frequentemente apresentam grandes ocelos, muito úteis na identificação. Deve ser uma Automeris sp.


A segunda eu acho que também é Saturniidae, mas já é um bicho bem menos distinto. Talvez uma Dirphia, mas por enquanto não confirmo.

A terceira deve ser uma Podalia orsilocha (Megalopygidae).

Lagarta Automeris no Rio Grande do Sul

Olá bom dia!

Esse dois serezinhos lindos fotografamos em nosso sítio em Carlos Barbosa-RS Ambos foram novamente colocados em liberdade logo após a seção fotográfica. (...) o outro parece uma lagarta vestida para festa. Que bicho são na realidade?
Luciana Freire de Garibaldi, Rio Grande do Sul.
Esta é uma larva de mariposa Saturniidae: Hemileucinae. Talvez seja ma Automeris illustris.

Ninfa de Gafanhoto Zoniopoda no Rio Grande do Sul

Olá bom dia!

Esse dois serezinhos lindos fotografamos em nosso sítio em Carlos Barbosa-RS Ambos foram novamente colocados em liberdade logo após a seção fotográfica. O primeiro parece um grilo, mais lindo assim nunca tinha visto (...). Que bicho são na realidade?
Luciana Freire de Garibaldi, Rio Grande do Sul.
Esta deve ser uma ninfa já "adolescente" de Zoniopoda tarsata (Romaleidae: Romaleine: Romaleini).

Megalóptero Corydalus em Minas Gerais

Que bom achar essas informações, já vi este inseto várias vezes em casa, sempre perguntava para meus pais e para outras pessoas o nome, mas ninguém sabia. Hoje acabei de ver um e resolvi pesquisar.
Vanessa Coelho Teixeira de Sapucaí Mirim-MG.
E que bom que pôde identificar esta fêmea de Corydalus sp. (Megaloptera: Corydalidae).

Esperança Pleminiini no Distrito Federal

Olá, César! Saberia qual espécie é esta? Fotografado em Mambaí, Goiás. Abraço!
Rodrigo Conte, Brasília, Distrito Federal.

Rodrigo, as esperanças com esta aparência têm sido bem difícil. Pleminia (Tettigoniidae: Pseudophylinae: Pleminiini) me parece um bom palpite. O nº 5068 da Esalq me parece muito semelhante, mas no momento recebo "Este site pode danificar seu computador."

Baratas Epilampra no Rio Grande do Norte

Na epoca que enviei o pedido eu nao tinha como saber mas agora os filhotes da femea viraram adultos:
Rafael Pablo de Natal, Rio Grande do Norte.
Epilampra sp. (Blaberidae: Epilamprinae: Epilamprini)

Aranha Cyrtophora no Rio de Janeiro

Boa noite, César!
Sabe o que achei interessante nesta douradinha? Ela fez a "casa" entre os orelhões. E quando eu soprei sobre ela, ela ficou encolhida. Nao consegui fotografar por cima porque é alto. Eu fiz uma selfie dela que foi uma silhueta. Dá para saber quem é esta aranha?
Damiria Machado de Rio de Janeiro, capital.
Ela tem certamente aparência de Araneidae, mas a teia é bem bagunçada. Juntando com o formato do abdome, esta deve ser uma espécie introduzida, documentada pela primeira vez no Brasil em 2004Cyrtophora citricola. Esta aranha apresenta certo grau de sociabilidade, as teias podem ser conectadas com as de outros indivíduos.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Esperança Tetragonomera no Rio de Janeiro

Olá Cesar. Gosto muito do seu site e de sua iniciativa. Parabéns. Como minha primeira postagem gostaria apenas de divulgar esta maravilhosa esperança encontrada na Floresta da Tijuca - RJ.

a ninfa se camuflava muito bem em líquens brancos, mas depois de adulta adquiriu maior coloração e camuflagem mais versátil.
Esta, onívora, come de tudo (folhas, frutas e carne), mas não é uma predadora, apenas oportunista.
Poe seus ovos dentro de troncos e ramos, 1 a 1.
apenas os machos podem estridular.
quando ameaçada, ergue as asas e suas pernas traseiras, com coloração forte, em sinal de advertência.
não é capaz de alçar voo.
Apesar de tudo, é um animal muito tranquilo e carismático, de fácil manipulação.

Certamente trata-se de um exemplar da tribo Pleminiini > Pseudophyllinae > Tettiigonidae.

Meu palpite é que seja do gênero Tetragonomera. próximo a T. Fluminensis e T. marmorata, por conta do formato do pronoto, tamanho das asas, ovipositor e coloração.

Gostaria de saber sua opinião quanto a ID.

Novamente parabéns pelo site

Abraço.

Phillip Watzke Engelking.
Phillip, este é um exemplar muito interessante, eu gostaria muito de poder dar um bom palpite, mas as imagens em Orthoptera Species File estão carregando pra você? Pra mim, tenho apenas a vista dorsal de T. marmorata e uma imagem em baixa resolução da Esalq. Pela imagem da Esalq, você me parece estar correto.

Muito obrigado, Phillip. Tenho boa certeza que você entende mais aqui do que eu e este é um grupo bem difícil, toda ajuda é bem vinda.

Burrinho Epicauta em São Paulo

Bom dia!
César, vc poderia me ajudar com esse 3 ? Não achei no Id você mesmo.
Obrigada.
Camila Ferraz de Siqueira de Santo Antônio do Pinhal, São Paulo.
Este é um burrinho Epicauta sp. (Meloidae: Meloinae: Epicautini). Este é de identificação difícil, pois meloídeos variam muito em morfologia, há três no IVM, e mesmo assim não são semelhantes. Estes besouros causam acidentes, pois se alimentam de plantas de importância econônica e segregam substância cáustica.