segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Megalóptero Chloronia no Rio de Janeiro

Cesar, envio essa Chloronia sp. (Megaloptera: Corydalidae: Corydalinae) que encontrei a mais de 1000 metros de altitude no dia 30/01/16 no Parque Nacional da Serra dos Órgãos, em Teresópolis, RJ.
André Alves de Rio de Janeiro, capital.

Mariposa Histria no Paraná

Oi Cesar! Encontrei 4 dessa voando juntas, acho que era ritual de acasalamento, e uma delas posou na folha (acho que ela perdeu a pretendente) e ficou um tempão ali. Ela não parece ter probóscide, mas mesmo assim ficava nas flores, sem tentar se alimentar. Quando cheguei perto tirando foto, ela mexeu as perninhas como se tivesse me expulsando (gravei um vídeo aqui).
Tem como identificar? Eu não faço ideia sobre a qual família ela pertence, porque as antenas também me confundiram sobre ser uma borboleta ou uma mariposa (meu palpite fica em mariposa pelo corpo e o barulho que ela faz quando bate as asas é bem parecido com de indivíduos de Hesperiidae). Encontrada em Canela, Rio Grande do Sul.
Thalíta Morais de Curitiba, Paraná.
Thalíta, eu diria que na verdade, você pôde identificar corretamente como uma mariposa da família Castniidae e muito provavelmente é a mesma espécie registrada pelo Latuff no Rio Grande do Sul. No entanto, você diz suspeitar de mariposa por fazer um som semelhante aos hesperiídeos; hesperiídeos são borboletas. A dificuldade em saber a que grupo situá-las é normal, elas são chamadas de mariposas-borboletas gigantes (giant butterfly moths) e têm de fato características de borboleta, principalmente a ponta das antenas alargadas.

Eu acredito agora que seus registros são os únicos de Histria fabricii (Castniinae) vivos.

Percevejo Predador Zelus em Goiás

Oi! Alguém sabe me dizer quem é este, por favor?! Obrigada.
Nadya Lima de Goiânia, Goiás.
Este é um percevejo-predador da família Reduviidae, inseto benéfico, que pode dar uma picada dolorosa se manuseado incorretamente. A Kel pôde encontrar um que combina bem na galeria de PyBio identificado como Zelus sp. (Harpactorinae: Harpactorini) e eu acredito que ele seja Zelus armillatus.

domingo, 7 de fevereiro de 2016

Burrinhos no Rio Grande do Sul

Olá. Sou Cecilia Hurtado e hoje fotografei este inseto no tomateiro ao lado da casa num sitio em Cambará do Sul/RS. Voces poderiam identifica-lo? Obrigada
Cecilia Hurtado de Cambará do Sul, Rio Grande do Sul.



Estes são burrinhos ou arrebenta-bois da família Meloidae, creio que Epicauta excavata (Meloinae: Epicautini). Estes bichos segregam uma substância chamada cantaridina que, em contato com a pele provoca bolhas, este artigo registra casos no Rio Grande do Sul. Se um animal os ingerir, pode ser fatal.

Percevejo Holymenia no Distrito Federal

Olá Cesar fotografei esse inseto na região que chamamos de borda da mata - cerrado do DF. A princípio cheguei a pensar que fosse percevejo, talvez até seja rsrsr achei as antenas muito longas e as asas um pouco diferentes. Agradeço desde já a ajuda. Abraços.
Rosemarie Schossig Torres de Sobradinho, Distrito Federal.
Este é um percevejo Holymenia sp. (=Holhymenia; Coreidae: Coreinae: Anisoscelini), ele mimetiza vespas parasitoides, por isto as longas antenas e asas transparentes. Foi citado recentemente nesta postagem, são dois percevejos bem diferentes com ninfas quase idênticas.

Provável Mariposa Lithosiini no Rio de janeiro

Tudo bem, Cesar?
Veja a minúscula mariposa que encontrei. Muito bonitinha, não é? Toquei nela e saiu voando! Bem rápida.
Aguardo a identificação.
Data da foto: 04.02.2016.
Local: Cordeiro-R.J.
Um abraço,
Lúcia Lopes de Cordeiro, Rio de Janeiro.
Ela era bem miudinha, né? Muito difícil, eu acredito, pela forma geral, que é algo em Erebidae: Arctiinae: Lithosiini, mas não encontrei igual.

Aranha Caranguejo Filodromídea em Santa Catarina

Boa noite, vamos lá.
A fim de descobrir de vez as semelhanças e diferenças entre a marrom e a vermelha, mando uma foto de uma que encontrei agora na mesa em que estava sentado nesse momento. Bem pequena, filhote.
Atenciosamente,
Mário Bandeira de Carvalho de Itajaí, Santa Catarina.
Mário, o primeiro ponto a observar aqui, é que no Brasil, nós temos milhares de espécies, divididas em centenas de gêneros, dezenas de famílias. Tentar dividir aranhas em marrons e vermelhas será frustrante logo no início.

Esta aqui com certeza absoluta não é nem uma e nem outra, esta possui um corpo proporcionalmente largo, pernas robustas e, característica que chama a atenção, o segundo par de pernas é mais desenvolvido que os outros. Não vou saber te dizer a espécie, mas a família me parece ser Philodromidae, dependendo da espécie um adulto pode ter 2 mm de corpo e poderão mais facilmente ser confundidas com tomisídeos, com quem compartilham o nome de aranhas-caranguejo.

sábado, 6 de fevereiro de 2016

Serra-Pau de Crista em São Paulo

Boa noite. Acabei de encontrar este inseto na entrada de um hospital.
Sou de Jundiaí - SP
Tentei identifica-lo sozinho, mas o mais próximo que cheguei foi de acreditar ser Heteroptera.

Parabéns pelo trabalho!
Abraços

Renan Nalin de Jundiaí, São Paulo.
Renan, heterópteros ou percevejos são insetos caracterizados pelo primeiro par de asas parte coriáceo, parte membranoso. Este inseto com o primeiro par de asas totalmente rígido é um coleóptero ou besouro, mais especificamente o serra-pau-de-crista Hypselomus cristatus (Cerambycidae: Lamiinae: Onciderini).

Obrigado, Renan.

Mariposa Judas em São Paulo

Olá Cesar, pode me ajudar na identificação dessa lindeza? Fotografei ontem a noite em casa, em Santana de Parnaíba - SP. Obrigada!!
Priscilla Paduano de Santana do Parnaíba, São Paulo.
Priscilla, eu não encontro nenhuma outra imagem de um indivíduo vivo para uma boa comparação, meu melhor palpite é Epistosia judas (Erebidae: Arctiinae: Lithosiini).

Besouros Serra-Pau Chydarteres no Rio Grande do Sul

Cesar este seria também Chydarteres como o do Fábio Sachs, registro feito em Gravataí RS, muitos indivíduos compartilhavam uma cerejeira carregada de frutos.
Gratos
Paulo Renato Huppes de Gravataí, Rio Grande do Sul.
O primeiro é C. striatus striatus (Cerambycidae: Cerambycinae: Trachyderini), o que aparece em evidência na segunda imagem eu creio que seja uma variação de cor, mas não descarto que seja uma outra espécie como ocorreu no do Fábio, este já é mais difícil de afirmar.