quarta-feira, 18 de abril de 2018

Besouro Cymatothes em São Paulo


Olá Cesar,

Os camaradinha começaram a aparecer novamente.

Seguem mais fotos de um que encontrei ontem a noite.

Abraços!
Jose Felipe Lemes.
Ôpa, imagens bem mais nítidas que a anterior! Quanto aos padrões de manchas, pode-se dizer que em nada difere do anterior, Cymatothes vestitus multimaculatus (Tenebrionidae: Tenebrioninae: Amarygmini). Tem visto estes bichos se alimentando? Se tem tantos, talvez você veja larvas também, que suponho ser semelhante a estas, por ser bem aparentado, apesar dos adultos serem bem distintos. Tudo o que acrescentar sobre eles parece ser novo.

Sobrevivência de Lagartas Parasitadas por Tachinidae

Oi Cesar, não precisa me responder com pressa, só queria mostrar essa mosca bonita e perguntar uma coisa.

Eu achei uma similar a essa aqui no insetologia, então acho que também é uma Ptilodexia sp. (Dexiinae: Dexiini). Mas no post diz que é parasitoide de besouros então fiquei na dúvida. A pergunta é a seguinte: uma lagarta que foi parasitada por tachinidae tem chance de completar o ciclo? Essa saiu de uma das nove Dicentria que estou criando, mas pra minha surpresa, as nove empuparam... Tenho certeza que saiu de uma delas, pois no pote tinha hemolinfa e a larva tava lá. Eu a Kel achamos impossível, pois Tachinidae faz um ferimento enorme quando emerge e, mesmo que a lagarta sobreviva ao dano, ela não teria energia suficiente pra metamorfosear... O que você acha?

Bragança PTA - SP
Santiago Dos Santos.
Santiago, ela é Tachinidae e meu palpite de 2014 pode ter sido infeliz, acho que ela não tem pernas o suficiente pra este gênero. Encontrei apenas Winthemia parasitando este gênero (1, 2), mas não vejo nenhuma dourada como estas. O termo parasitoide sugere um parasitismo que causa a morte do hospedeiro. Mas pesquisando sobre a possibilidade da lagarta sobreviver, encontrei Guppy & Sheppard (2001):
One or more tachinid larvae may parasitize a single caterpillar, and on rare occasions the host caterpillar will survive, pupate, and produce an adult.
 Sim, há casos em que a laarta sobrevive.

Fêmea de Bicho Pau Cladomorphus

Olá César,

Seria essa uma fêmea do gênero Cladomorphus (Phasmatidae: Cladomorphinae: Cladomorphini)?
Se quiser pode usar a foto para o álbum "Não é o Bicho-Papão".
Obrigada pela atenção.
Um abraço.
Ísis Meri Medri.
Eu acredito que está correta a identificação, Ísis. Este é de onde?

Lagarta de Mariposa Falcão Pachylia no Paraná

Olá César,
Encontrei essa lagarta numa figueira, na zona rural de Ibiporã-PR, no dia 23 de setembro de 2017.
Se quiser pode usar a foto, de autoria de Adriana Romagnolo, para o álbum "Não é o Bicho-Papão". Ela autorizou.
Obrigada pela atenção.
Um abraço.
Ísis Meri Medri.
Ísis, eu na verdade não sei como funciona no Facebook, como as fotos que compõem os álbuns têm sido enviadas, mas estou publicando aqui. Parece alguma Sphingidae, creio que já perto de empupar, quando descem à terra. Pode neste caso ser Pachylia ficus (Sphingidae: Macroglossinae: Dilophonotini), compare com este exemplar da Amanda.

Ovos de Maria Fedida Pellaea em São Paulo

Boa tarde,

Moro no centro de São Paulo e encontrei esses ovos grudados na rede de proteção de uma das janelas, eles são bem pequeno, menores que a cabeça de um alfinete. a casca deles era incrivelmente dura. Primeira vez que vejo algum inseto fazer isso aqui em casa, na verdade, a variedade de insetos que estão aparecendo por aqui tem aumentado bastante...
Daniel Mark.
Olá de novo e há quanto tempo, Daniel. Daniel, me é estranho que sejam tão duros. Apesar da aparente diferença de coloração, eles combinam bem com os ovos da maria-fedida Pellaea stictica (Pentatomidae: Pentatominae: Pentatomini), nada para se preocupar. Houve um pedido não publicado muito recentemente dos mesmos ovos.

Barata de Esgoto em São Paulo

Olá !
Encontrei esse inseto na árvore aqui em Sp-sp
Pensei que fosse uma barata,mas não tenho certeza
Bia Neko.
Bia, é certamente uma barata, e não uma barata silvestre, com estas manchas no pronoto, conheço apenas Periplaneta americana (Blattidae: Blattinae), nossa querida barata-de-esgoto. É até estranho vê-la em árvores.

terça-feira, 17 de abril de 2018

Besouro-Aranha Mezium no Rio Grande do Sul

Ola, pensei ser um percevejo, mas depois de fotografar não sei dizer. Tem menos de 4mm. Cruz Alta - RS
Matheus Henrique.
Que bichinho legal você achou, Matheus. Sem dúvida é um besouro-aranha (Ptinidae: Ptininae) e deve ser Mezium sp. (Meziini). Eu não consigo achar muito sobre eles, mas na Wikipedia, com fonte expirada, diz que são mais comuns em cavernas se alimentando do guano de morcegos e fezes de outros animais e que se adaptam a construções humanas como celeiros e galinheiros. Já Biodiversity Explorer diz que são pragas de produtos estocados, é estranho que o mesmo não conste em BugGuide. A espécie que encontrei registros no Brasil é M. americanum, que tem este nome apesar de se acreditar que têm origem africana Por curiosidade, ele tem os élitros fundidos como o besouro-toupeira.

Lagarta Desconhecida em São Paulo

Olá, encontrei essa gracinha nessa semana, em Embu das Artes, num pé de mamona. 
Qual a especie?
Lara Antonieto.
Lara, eu estou bem confuso com esta lagarta. Ela não se parece com nenhuma lagarta que eu encontre registros para a mamona e mesmo quanto à família eu estou em dúvida. Tentando pensar fora da caixa, há até saturniídeos que têm cerdas semelhantes e muitos saturniídeos gostam de mamona, mas realmente, sem ideia quanto a esta por enquanto. Pode estimar o tamanho dela?

Se alguém tiver ideia de qual é, por favor, use os comentários.

Mariposa-Vespa Cosmosoma no Rio de Janeiro

acabei de achar uma no meu banheiro
Ianete Marinho de Rio de Janeiro, capital.
Ela parece ter os tarsos brancos, então deve ser mesmo Cosmosoma regia (Erebidae: Arctiinae: Euchromiini/Euchromiina), um macho, pelas antenas tão plumosas. É interessante ela pousar (e posar)  no espelho, pois nos revela a vista ventral.

Besouros Crisomelídeos no Amazonas

olá gostaria que me ajudassem a identificar este inimigo que está devastando a minha horta e informar como combate-los Manaus - Amazonas
Lulu Luciana.
Lulu, eu havia preparado a postagem como "possível besouro crisomelídeo" antes de ver o outro comentário com a imagem em detalhe. Fica confirmado Chrysomelidae: Galerucinae, estou com dificuldade de precisar qual agora, veja semelhantes em Alticini como Omophoita e em Luperini como Diabrotica.

Com animais fora de casa, não nocivos ao homem, não sei qual o porte da horta, mas recomendaria primeiro, se possível, coletá-los e devolvê-los à natureza em outro lugar, tolerar predadores e parasitoides que podem fazer o controle natural, ou se preciso, defensivos naturais como óleo de neem.