quarta-feira, 28 de junho de 2017

Barbeiro e Não Barbeiro no Maranhão

Olá moro no maranhão e encontrei esse inseto e gostaria muito de saber se é ou não o barbeiro. Grato.
Olá Cesar depois da sua resposta pesquisei e identifiquei como sendo da espécie triatoma rhodnius. O registro é da região norte do Maranhão.

Tenho um outro registro da mesma região que penso ser uma um barbeiro em desenvolvimento. Pode me ajudar a indentificar?
Jorão de Melo Siqueira.
Jorão, como dito, o primeiro inseto é um barbeiro (Reduviidae: Triatominae), mas não há uma espécie Triatoma rhodnius; Triatoma e Rhodnius são dois gêneros distintos, somando juntos quase 90 espécies conhecidas. Este é uma Rhodnius sp. (cabeça bem alongada, antenas inseridas no ápice). Segundo Rabelo Barros & Mendes há cinco que ocorrem no Maranhão, R. brethesi, R. nasutus, R. neglectus, R. pictipes e R. robustus (Larrousse, 1927) Por tentativa, não confirmado, este me parece R. nasutus (se < 2 cm.; a espécie é normalmente descrita como avermelhada, mas há registros de variação de cor).

O segundo é um predador, bom mantê-los vivos pra controlar os barbeiros, a imagem não está nítida, mas deve ser uma Peiratinae sp. (estes são agressivos e podem produzir picadas dolorosas, não perigosas).

Sempre lembrando que o ideal é se coletar barbeiros vivos e encaminhá-los a órgãos de saúde ou controle de zoonoses.

Larva de Besouro de Carpete Anthrenus em São Paulo

Boa Noite!
Tenho capturado esse insetinho no meu quarto de costuras, andando por cima das coisas e caixas de papelão. Pesquisei aqui no site e na internet e não o encontrei.
Ele mede 0,5 cm, se move um pouco rápido, aparece sozinho e não muito frequentemente.
A princípio pensei que fosse uma baratinha, mas ele é peludo e molinho.
Moro em Suzano, SP.
Poderiam identificá-lo por favor?
Muito obrigada.
Silvia Regina.
Silvia, esta é uma larva de besouro-de-carpete da família Dermestidae, aparentemente Anthrenus sp. (Megatominae: Anthrenini). Na natureza, estas larvas podem se desenvolver em ninhos abandonados de pássaros, mamíferos e vespas. Em casa, estas larvas podem se alimentar do que é comum no pó doméstico, como restos de pele, pelos e cabelos, podem danificar fibras de tecidos e lã, podem infestar alimentos como ração animal. Um aspirador de pó irá ajudar bastante no controle a estes bichos. Adultos provavelmente tendem a deixar a casa, pois se alimentam de pólen e néctar.

Aranha Caranguejo Gigante Polybetes no Maranhão

Olá 
Estava caminhando na mata, quando reparei que havia uma aranha na minha roupa. Tirei ela com um tapa bem nervoso, pois não tinha visto nenhuma aranha daquela espécie. Apesar do susto achei ela com uma cor bem atrativa. Gostaria de saber que aranha é essa e se trás perigo?
É do cerrado de Timon no Maranhão
Luis Carlos Oliveira.
Luis, a imagem saiu bem pequena. Na minha opinião, esta é uma Polybetes sp. (Sparassidae) muito bonita. Encontrei um registro de uma com coloração semelhante nas pernas. Estas aranhas só tem tamanho, não são perigosas e são muito tranquilas.

Cochonilhas de São Paulo

Cesar, tenho mais umas cochonilhas nas respecitvas plantas hospedeiras: Limoeiro e Estrelítzia (embaixo da flor seca), Tem como identificá-las?
TaMi Miranda de Rio Claro, São Paulo.
Ambas são cochonilhas (Coccoidea), a primeira deve ser a cochonilha-verde ou escama-verde Coccus viridis (Coccidae), atendidas por uma formiga, e a segunda, alguma Pseudococcidae, semelhante a Planococcus spp.

Mariposa Falcão Erinnyis no Rio de Janeiro

Bom dia, César!
Damiria Machado de Rio de Janeiro, capital.
Esta é uma fêmea de Erinnyis ello (Sphingidae: Macroglossinae: Dilophonotini).

Picada de Ninfa de Percevejo Predador em Brasília

Caros,
Este inseto picou a mãozinha do meu filho de 4 anos, e estou muito preocupada. Moro em casa em Brasília e o inseto está a dentro do carro. Ele é verde, apesar parecer amarelado na foto.
Flavia Marsiglia.
Flavia, esta é uma ninfa de percevejo-predador da famíia Reduviidae, provavelmente Zelus sp. (Harpactorinae). Este´é um inseto benéfico, não transmite doenças. Zelus não são agressivos, acidentes acontecem geralmente se o bicho entra na roupa, é pressionado contra a pele ou manuseado incorretamente. Temos alguns exemplares semelhantes no Insetologia (1, 2)

Anúncios no Insetologia

Pessoal, se alguém vir propagandas ofensivas nos comentários, eu peço por favor que cliquem sem dó em Report ad. O Insetologia não é ambiente para elas, página utilizada por pessoas de todas as idades e diferentes opiniões e crenças. As propagandas da Disqus nos comentários não são fáceis de moderar e nem personalizadas como as da Google Adsense em outros locais do Insetologia. Remover as propagandas (no geral, não estas especificamente) não é opção que considero, elas geram poucos, mas importantes centavos por clique.

Obrigado,
Cesar.

Publicado originalmente em 26/06/17 20:41

terça-feira, 27 de junho de 2017

Besouro Estafilinídeo Coproporus em São Paulo

Oi alguem sabe me dizer que bichinho é esse e como acabar com ele? Pois tem varios dlee em cima da minha cama, e eles picam, deu ate uma alergia em mim, tem varios dele na parte de baixo do box da cama perto da madeira, ele e pequeno dms e voa, quase nem da pra ver eu que aproximei a imagem e tem varios deles, voce sabe me falar oq é e como acabar com eles?
Pollyana Anacletto de Guapiaçu, São Paulo.
Polly, este realmente parece ser Coproporus sp. (Staphylinidae: Tachyporinae: Tachyporini) ou gênero próximo (além da semelhança, este é o gênero mais abundante neste artigo), mas eles parecem sempre associados a fungos, matéria vegetal em decomposição e serragem e madeira. A cama é muito antiga ou está com a madeira em boas condições? Não duvidando que eles possam ser responsáveis, mas pelas picadas e alergia, você pode estar tendo um problema paralelo com ácaros, espécies domésticas podem ser quase ou realmente invisíveis.

Provável Broca Rajada da Cana

Boa tarde, esse bicho apareceu na parede de meu apartamento no 6º andar no Camorim - Rio de janeiro - RJ e estou apavorada achando que é um barbeiro. Ele era duro como besouro deu muitas chineladas para matar. Era arredondado. A foto não está boa pq dei chineladas nele e depois coloquei no chão pra fotografar. Confio que mesmo assim você vai conseguir me dizer qual é. Grata,
Lilian Moutinho.
Lilian, há uma série de dificuldades aqui, a primeira que eu apontaria é o fato do bicho estar de barriga pra cima. O que consigo te assegurar é que de modo algum se trata de um barbeiro e que realmente se trata de um besouro. Vou dar um chutão, broca-rajada-da-cana Metamasius hemipterus (Curculionidae: Dryophthorinae: Rhynchophorini), inofensivo, há uma imagem em vista ventral na página da australiana PaDIL.

Atualização: O pedido de Anderson Amorim de Salvador, Bahia, no dia seguinte acrescenta a probabilidade de a identificação estar correta, insetos são sazonais, é comum que a mesma espécie surja simultaneamente em regiões diferentes.

Provável Abelha Ceratina no Rio Grande do Sul

Olá César! Encontrei essa minúscula abelha indo nas flores de casa, deve ter alguns milímetros. Li a respeito de Leurotrigona muelleri (Apidae: Apinae: Apini: Meliponina), mas ela não existe na região. Poderia identificá-la.
Vinícius Domingues de Rio Grande, Rio Grande do Sul.
Vinícius, a identificação de abelhas é muito complicada e depende de caracteres muito sutis. Você está no extremo sul, realmente fora da área e distribuição conhecida da abelha-mosquitinha ou lambe-olhos. O gênero mais próximo é o Trigonisca, mas este não é, pois elas têm necessariamente uma aparência fosca. Fora estas, as meliponinas no Brasil de tamanho muito pequeno que consigo levantar são Friesella, que também são foscas, Nogueirapis, que não parecem haver espécies pretas e as jataí Tetragonisca, esta definitivamente não é. Minha conclusão é que não deve ser meliponina, por isso eu vou de Ceratina sp. (Apidae: Xylocopinae: Ceratinini), abelhas pequenas e solitárias que, apesar do tamanho, são parentes de subfamília das mamangavas-de-toco. Estas são amplamente distribuídas pelo mundo. Nesta página, há uma imagem que mostra o "pescoço" branco-amarelado como o seu exemplar.