sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

Mariposas Megalopigídeas no Rio de Janeiro

Cesar. Eu achei tão legal esse registro do Marcos Eduardo de Macaé RJ. Será que se trata de aberração? Algumas saíram com parte das asas brancas.
Kel.
Acho que eu tenho mais perguntas do que respostas.

A primeira: Que espécie é esta? Bom, sou eu quem geralmente recebe esta pergunta, mas as Megalopygidae estão me parecendo cada vez mais confusas mesmo no nível genérico (1, 2, 3), definitivamente há muita confusão na internet neste grupo, inclusive aqui, tentei consultar especialista pra resolver de vez, mas não tive resposta, não estou querendo aumentar mais. Claramente, o primeiro indivíduo, mais branco, é macho, e o segundo fêmea, as antenas não negam. Lepesqueur (2012), na página 53, mostra uma fêmea de Megalopyge albicollis que, aos meus olhos, parece idêntica a esta, talvez com branco ao invés de amarelo no tórax. A autora ainda diz "Os machos (e) são menores e menos robustos que as fêmeas (f) e possuem asas posteriores mais esbranquiçadas." A imagem do macho não mostra um indivíduo com asas tão brancas como este mas, se eles têm naturalmente asas mais brancas, pode-se supor que esta é uma variação possível. Só que as larvas mostradas não e assemelham a esta, se parece mais com as que se costuma dizer serem de Podalia, agravando as dúvidas que tenho sobre estes gêneros.

A segunda: Está botando ovos na segunda imagem? Se não, que bumbum peludo é este, é o mesmo indivíduo da terceira?

A terceira, mas não menos importante, a lagarta está usando fivelinhas no cabelo, ou é impressão minha?

Nenhum comentário:

Postar um comentário