segunda-feira, 5 de junho de 2017

Vespa Braconídea no Espírito Santo

Oi Cesar, como vai? Eu encontrei algumas Phobetron no quintal, e duas delas estavam parasitadas. Eu acho esse grupo muito interessante, parasitoides, e nunca interrompo o desenvolvimento, gosto de registrar tudo. O parasitoide fica no dorso da Phobetron, ocupando todo ele e impedindo que a lagarta se movimente, da pra ver ele dentro do casulo que ele forma, mas não com nitidez. Ontem, fui tirar umas fotos e, pra minha surpresa, a vespa emergiu na mesma hora. Já saiu com as asas prontas pra voar, mas ficou um tempinho na minha mão, e depois numa folha, deu pra fazer algumas fotos, nenhuma boa como eu gostaria, mas acho que dá pra identificar. Ela tem uns 7 mm, ou talvez 1 cm, não sou boa com medidas, e achei ela muito diferente, na vista dorsal parece até um percevejo. Eu fiz varias buscas nas superfamílias Chalcidoidea e Ichneumonoidea, e não achei nada parecido. Se você não conseguir ID, vou postar no Project Noah, lá tem um especialista em parasitoides.
Kel Silva de Cariacica, Espírito Santo.
Kel, neste grupo é mesmo bom a opinião de um especialista. Pra mim, se trata de Braconidae: Microgastrinae.

Kel: O John La Salle disse a mesma coisa, ele vai entrar em contato com especialista em Braconidae pra ver se consegue mais informação. Hoje, outra apareceu parasitada, ela tava grudada na parede do pote de vidro, fui puxar e a larva saiu. A pupa q to mandando é de uma segunda parasitada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário