quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

Besouro Tenebrionídeo em São Paulo

Oi Cesar!
Identifica esse bonito p mim?
Tami Miranda de Rio Claro, São Paulo.
Aqui eu consigo dizer que é Tenebrionidae: Alleculinae: Alleculini. Lobopoda me parece ser mais comum, mas Allecula está, para mim, mais semelhante, pelo contorno dos olhos, que não me parecem convergir na frente, as demais diferenças são vistas ventralmente. Após falar das muitas semelhanças, Campbell (1966) diz sobre as diferenças:
Lobopoda pode ser facilmente separado de Allecula e outros gêneros relacionados da tribo Alleculini, como Hipnenorus e Alethia. Em Lobopoda os olhos são muito grandes e obliquamente convergentes na frente, de modo que as margens anteriores são muito mais aproximadas do que as margens posteriores (geralmente se tocam dorsalmente no macho).
O segmento apical dos palpos maxilares (Fig. 181) é muito fortemente expandido transversalmente. A face anterior do prosterno é muito curta e inclina-se fortemente até a região gular da cabeça em repouso. Os lobos do oitavo esterno são grandes e frequentemente altamente modificados; e os lobos do nono esterno também são muito bem desenvolvidos, geralmente com pelo menos metade do comprimento dos lobos do oitavo esterno. Os gêneros Allecula, Hymenorus e Alethia possuem o segmento apical do palpo maxilar amplo, triangularmente expandido. Os olhos geralmente são um pouco menores do que em Lobopoda e não convergem obliquamente na frente; as margens anterior e posterior são igualmente separadas umas das outras, e os olhos do macho raramente se tocam dorsalmente. A face anterior do prosterno é longa e plana. Os lobos do oitavo esterno são geralmente curvos de maneira uniforme e convexa, medialmente se aproximando do ápice, e os lobos do nono esterno raramente são bem desenvolvidos, geralmente não se estendendo além do terço basal dos oitavos lobos esternais. Uma característica muito notável de Lobopoda é o dimorfismo sexual bem desenvolvido. Os machos podem ser facilmente separados das fêmeas pela diferença no número de segmentos tarsais lobulados, particularmente no tarso anterior; os olhos mais aproximados (exceto em exemplos raros), que normalmente estão em contato dorsalmente; o distinta dilatação ou modificação das tíbias anteriores e os dentes mais abundantes nas garras tarsais. Outros gêneros da tribo Alleculini também mostram algum grau de dimorfismo sexual; no entanto, em nenhum outro gênero as diferenças sexuais são tão grandes quanto em Lobopoda. Cada uma das diferenças sexuais em Lobopoda mencionadas acima é representada em pelo menos uma espécie sulamericana de Allecula, mas eu não conheço nenhuma espécie do Novo Mundo de Allecula que possua todas elas, e as diferenças geralmente não são tão distintas quanto em Lobopoda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário