quinta-feira, 31 de julho de 2014

Ninfa de Percevejo em São Paulo

que inseto é esse?
Rafael de Rio Claro, São paulo.
Rafael, esta é uma ninfa bem novinha de percevejo, provavelmente família Pentatomidae (Hemiptera: Pentatomidae), as marias-fedidas.

Noto que é bem semelhante à que a Celia enviou em abril.

Percevejos no Ceará

César, pequenas criaturinhas como a dos anexos tem aparecido na minha casa frequentemente, acredito ser algum tipo de percevejo, a princípio temia que fossem barbeiros mas pelo tamanho comecei a acreditar que não, porém continuo na dúvida sobre qual espécie seja essa e o que fazer com eles, eliminá-los caso sejam nocivos ou deixar eles seguirem seu curso de vida caso não queiram chupar meu sangue. Infelizmente as imagens não estão mto boas, mas espero que com elas vc consiga me ajudar!
Agradeço desde já!
John Loureiro de Maracanaú, Ceará.
John, por algum motivo, eu acho que você identifica melhor imagens pequenas do que eu, hehe.

Olha, eu concordo que este seja um percevejo (Hemiptera: Heteroptera), mas além disso, pode ser difícil dar uma certeza, embora eu acredite que tenha a resposta.

É estranho como a primeira imagem me parece mostrar características diferentes da segunda. A primeira imagem mostra as características mais interessantes, que é o último segmento das antenas dilatadas assim como os fêmures dianteiros, o formato da cabeça e do tórax, as manchas pretas e as manchas brancas das asas, todas estas características combinam com Pseudopachybrachius vinctus (= P. vincta, Rhyparochromidae: Myodochini: Pseudopachybrachius; ant. Lygaeidae), a espécie está presente da América do Norte até, aparentemente, o Sul do Brasil, se alimenta principalmente de sementes de gramíneas, este livro registra a ocorrência na cultura do arroz no Brasil e este documento no algodão (como Pachybrachius).

Se confirmar a identificação, são inofensivos para nós.

Atualização: O segundo bicho (linha de baixo, reorganizei as imagens) é outro (vide comentários), provavelmente Lygaeidae (família à qual alguns autores associam o outro bicho, como consta entre parênteses).

Aranha Pirata em São Paulo

Saudações meu amigo Cesar.
Fotografei esta aranha num entorno de floresta aqui mesmo em Morro Agudo/SP.
Seria possivel identifica-la?
Abraços.
Marquinhos.
Marcos Cesar Campis de Morro Agudo, São Paulo.
     Marquinhos, me parece certo que ela é uma aranha-caranguejo da família Thomisidae. Pesquisei gênero por gênero, mas não encontrei nenhuma semelhante. O abdome me parece bem grande para um macho, estes são bem menores, por isso, menos documentados.

Atulização 01/08/2.014 - Antonio Brescovit: Olá, a foto é de um Gelanor - Mimetidae.

Cesar: Isto justifica o por que eu não encontrei gênero semelhante pesquisando gênero por gênero; eu desconhecia esta família. SpiderzRule as chama de aranha-pirata (Pirate Spiders) e nos dá uma informação interessante: normalmente, elas se alimentam de outras aranhas. Por isso mesmo, o macho passa por maus bocados para se aproximar da fêmea.
Por mais que eu me esforce, só vejo seis olhos nas imagens ampliadas.

Aranhas Domésticas em Brasília

Ola Cesar,
encontrei mais aranhas aqui casa todas eu nao conseguir identificar, a primeira fica na parede da varanda sempre parada no mesmo lugar tem varias delas , a segunda eu encontrei dentro do buraco da caixa de som, a terceira eu fiquei com um pouco de medo tinha varias delas debaixo da caixa de areia da minha gata elas corriam muito rapido e se escondiam rapidamente custei tirar uma foto de uma !
Clara Medeiros de Brasília, Distrito Federal. 
      Clara, a primeira aranha é uma pequena Oecobius (Oecobiidae), as demais são da família Pholcidae. A segunda imagem com um pouco de dúvida, esta era a número quatro e eu suponho que seja a terceira a que você se refere (hehe). O foco desta imagem realmente não ajuda, mas se você entender que ela é semelhante às outras duas, não representam qualquer perigo.
    Com estas, você tem uma boa amostra de aranhas comuns de aparecer em residências.

Crisálida de Borboleta Eueides em Minas Gerais

Encontrei essa larva no muro, ao lado de um pé de maracujá, gostaria de saber a que espécie de borboleta, se for o caso, ela pertence. Obrigada.
Dosanjos de Teófilo Otoni, Minas Gerais.
     Dosanjos, infelizmente, na imagem não temos bem uma larva, mas uma pupa, o que prejudica as chances de uma identificação precisa. Isso se não for só a "casquinha" abandonada. Ela ainda tem uns filamentos estranhos, tenho dúvida do que seriam estas estruturas, mas me lembra o aspecto de fungos, se forem, não nascerá nenhuma borboleta daí, pois está parasitada.
     Bom, a crisálida é de borboleta da família Nymphalidae, se vier do maracujá, temos as espécies Agraulis vanillae e Dione juno (ambas Heliconiinae: Heliconiini), as crisálidas da primeira e da segunda não se parecem muito com esta, mas não duvido de nenhuma das opções.

Atualização 16/12/2.014 - Marcelo Brito: Com certeza é uma crisálida de Eueides isabella dianasa (Nymphalidae: Heliconiinae: Heliconiini). Marcelo, Juiz de Fora-MG

Borboletas Ninfalídeas no Paraná

Olá Cesar, primeiramente gostaria de dizer que seu site é ótimo, sou muito fã, esta é a primeira vez que estou contribuindo, e como também gosto muito de insetos, sempre vejo o site para conhecer novos e se são perigosos ou não... Bem essas fotos eu tirei em uma viagem a Foz do iguaçu, como elas estavam próximas, pensei até que se tratavam da mesma família, pelas cores e pelo local próximo. Não sei se isso pode ser fato, mas é uma boa coincidência... observo aqui perto de minha casa, muitos insetos estranhos, sempre que puder estarei contribuindo. Grande Abraço !!
Marcio Theodoro de Campinas, São Paulo.
     Marcio, nós realmente podemos chamar isto de boa coincidência, pois as cores das larvas não refletem a coloração dos adultos e, mesmo que estejam na mesma planta, lagartas costumam ter hospedeiros específicos, já os adultos, que são em geral visitantes florais, ou podem se alimentar de frutos, não são muito seletivos. A família é a mesma, mas esta é a família mais abundante.
     O adulto é um macho de Catonephele numilia (Nymphalidae: Biblidinae: Epicaliini). Com ele, nós formamos um casal no Insetologia, a fêmea é um bicho totalmente diferente.
     A lagarta me parece a borboleta-do-manacá Methona themisto (Nymphalidae: Danainae: Ithomiini), mas tem algo estranho: esta planta não é um manacá Brunfelsia uniflora e esta é a única planta que tenho notícia de sua ocorrência. Sabe dizer se ela realmente estava se alimentando da planta? Se for o caso, a identificação deve ser colocada em dúvida.
     Muito obrigado, Marcio!

Gorgulho em São Paulo

ola,sou agradecido por ja ter sido ajudado por vcs,de novo,encontrei esse estranho inseto na minha horta,gostaria de saber se é venenoso,e tudo que puderem me dizer.de novo.obrigado
Marcos Pereira Tavares de Ribeirão Preto, São Paulo.
Marcos, este é um besouro da família Curculionidae, acredito que subfamília Molytinae, mas eu não encontrei uma imagem que combine bem com o exemplar, infelizmente, uma das melhores fontes na internet, não está exibindo as miniaturas das imagens.

Ele não tem veneno, não transmite doenças, é totalmente seguro para manusear. Na horta, talvez ele traga problemas, geralmente em plantas específicas e principalmente em fase larval.

Aranha Caranguejeira Tmesiphantes na Paraíba

Olá, primeiramente gostaria de parabenizar a todos pelo excelente site, muito útil e cheio de informações valiosas!
Mas vamos a minha dúvida, ontem o porteiro do meu prédio capturou e trouxe para mim esse exemplar de aranha, acredito se tratar de um spiderling de caranguejeira, contudo não faço ideia a qual espécie de caranguejeira pertence (se for uma caranguejeira de fato).
Esse exemplar foi capturado durante a tarde em um sítio na região rural de Campina Grande - PB (localizada na Serra da Borborema, Cariri paraibano), vale ressaltar que estamos no período de chuvas na região.
Já em relação ao comportamento do animal, pode-se dizer que o mesmo é muito rápido, e pouco agressivo, não demonstrando nenhuma intenção de picar ou soltar pelos urticantes, mesmo quando acuado, tentando apenas fugir e se esconder. Não sei se esse comportamento ocorreu pelo pequeno tamanho do animal ou por ser característico da espécie mesmo. Tirando os momentos de manipulação, fica a maior parte do tempo parado.
Uma característica que eu achei particularmente interessante foi a mancha preta no fim do abdome.
Gostaria de saber se é da família das caranguejeiras de fato e à qual espécie pertence, em relação ao sexo acredito ser praticamente impossível de se saber por essas fotos.
Desde já agradeço
Felipe Lavorato de Campina Grande, Paraíba.
Felipe, eu concordo que ela seja uma aranha-caranguejeira da família Theraphosidae, mas ela é realmente muito pequena, talvez não seja possível ir longe com ela; especialistas têm se mostrado relutantes em dar certeza de gêneros mesmo em adultos deste grupo. A mancha no abdome parece comum em indivíduos jovens.

As espécies de Lasiodora, últimos links, são comuns no Nordeste, alguns gêneros como Pamphobeteus eu não encontro imagens de imaturos. Talvez algum leitor possa dar um bom palpite.

Atualização Mai./2.020 - Victor Morais Ghirotto: Macho adulto de Tmesiphantes sp. (Theraphosidae: Theraphosinae)

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Mariposas Dysschema em São Paulo

Saudações meu amigo Cesar.
Fotografei esta mariposa na cidade aqui mesmo em Morro Agudo/SP.
Seria possivel identifica-la?
Abraços.
Marquinhos.
Marcos Cesar Campis de Morro Agudo, São Paulo.
Marquinhos, vi que a Luísa Mota já deu o palpite de Dysschema cf. sacrifica (Eebidae: Arctiinae) no Flickr. Pra mim, pode tirar o cf. e marcar que é um macho. As fêmeas são ligeiramente maiores (o que não se sabe pela foto) e não têm este branco nas asas inferiores.

Elas gostam bastante da minha casa, tanto crianças como adultos, mas não sei de onde elas vêm:
Dysschema sacrifica
(Erebidae: Arctiinae: Arctiini/Pericopini; ant. Arctiidae)

Mariposa Automeris no Mato Grosso do Sul

Olá Cesar, fotografei esses dois insetos e gostaria de saber, se possível, suas identificações a nível de espécie. (...) Já o segundo inseto (mariposa), pertencente a ordem Lepidoptera, foi fotografado também no dia 23/07/14 as 22:55, perto de uma lâmpada acesa e durante chuva moderada. Desde já, muito obrigado!! Abraço!
Edu de Corumbá, Mato Grosso do Sul.
     Edu, esta aqui é uma Automeris sp. (Saturniidae: Hemileucinae: Hemileucini). O ideal para a as espécies de Automeris é tentar, com cuidado, levantar as asas superiores pra ver as inferiores, que escondem desenhos de olhos. Meu melhor palpite é que ela seja A. illustris.

Libélula Diastatops no Mato Grosso do Sul

Olá Cesar, fotografei esses dois insetos e gostaria de saber, se possível, suas identificações a nível de espécie. O primeiro inseto (libélula), pertencente a ordem Odonata, foi fotografado no dia 23/07/14 as 11:51, numa área alagada, pousado sobre vegetação anfíbia. (...) Desde já, muito obrigado!! Abraço!
Edu de Corumbá, Mato Grosso do Sul.
     Edu, nestes bichos eu posso te garantir o gênero e te dar palpites de espécie.
     Esta bonita libélula é uma Diastatops sp. (Anisoptera: Libellulidae), provavelmente um macho (estou pondo em dúvida as outras identificações de sexo neste gênero aqui no Insetologia) de D. intensa baseado nestes registros do Mato Grosso do Sul.

terça-feira, 29 de julho de 2014

Piolhos de Cascas de Árvores em São Paulo

Boa noite,
Gostaria de saber que tipo de praga tenho em casa (foto anexo).
Eh bem pequeno, anda rapido, tem asa e tem causado reacoes alergicas com uso de roupas que parecem ficar contaminadas.
Obrigado!
Rodrigo de Pirassununga, São Paulo.
     Rodrigo, este é um inseto da ordem Psocodea (Psocoptera), provavelmente subordem Psocomorpha. Na natureza, estes bichos se aglomeram nas cascas das árvores se alimentando dos fungos que nelas crescem. Se estão infestando sua casa, provavelmente você está com problemas com mofo, o que deve significar outro problema com umidade, acredito mais que isto é que deva estar causando as reações alérgicas e os bichinhos estão minimizando os problemas.
     O ideal é tentar deixar a casa bem ventilada e procurar eliminar a infiltração de água.

Serra-Pau Martinsellus no Rio Grande do Sul

Ola tudo bem? Moro no Rio grande do sul, e sábado achei este bichinho, em ciam de uma blusa da minha filha, ate brinquei acho que ele pensou que estava em casa, porque se identificou, a blusa era tipo estas de estampa de oncinha, e a estampa dele é bem semelhante, e de todos os sites que pesquisei, o seu era o mais completo e deduzi que seja um Arlequim da Mata, mas gostaria de saber o porque, ele apareceu no quarto dela, temos vegetação fora de casa,e ultimamente, andei podando as arvores, será que ele apareceu disto.???E tipo assim aonde tem tem dois, ne???Aguardo seu retorno se possível, em anexo envio uma foto do dito cujo, que claro soltei na natureza. Um abraço e parabéns pelo site, bem esclarecedor.
Sandra de São Leopoldo, Rio Grande do Sul.
Sandra, eu não sei o que te levou a deduzir que este é um arlequim-da-mata, uma espécie bastante distinta pelo tamanho, padrão de cores e pelas longas pernas dianteiras. Todavia, você acerta a família, este é um besouro serra-pau da família Cerambycidae. Este, pelos padrões de manchas e cores, combina perfeitamente com Martinsellus signatus (Cerambycinae: trachyderini), os registros de plantas hospedeiras para esta espécie são de acácia e tala. Não sei se esta é uma das árvores que podou, é possível também que haja outras árvores onde suas larvas se desenvolvam, mas não deve ser por isso que ele surgiu. Ele tem asas bem desenvolvidas, provavelmente voa muito bem e foi por acaso que entrou em casa.

Se há vegetação fora de casa, é de se esperar que bichos como este ou outros surjam; eu o consideraria uma agradável visita.

Sandra: Muito Obrigada, pela explicação, é muito bom.ter estas informações. Valeu, mesmo!!

Aranha Tecedeira Parawixia no Paraná

Olá, fotografei esta aranha ontem, 27 de julho de 2014. Ela se encontrava debaixo de uma folha dessa mesma árvore da foto. Foi bem dificil achar ela,pois estava bem camuflada. Ela foi manuseada pra que fosse mais facil fotografar, então ergueu as duas patas dianteiras como fazem as Armadeiras,mas logo as abaixou. Espero que possa identificar ela pra mim,obrigado!
Paulo Lopes de Iporã, Paraná.
      Paulo, eu posso garantir que a família é Araneidae, me parece uma Parawixia sp., que são praticamente inofensivas.

Aranha Cuspideira no Rio de Janeiro

Olá César, por favor, se for possível com as fotos dá p/ identificar essa aranha? Ela passa a maior parte do tempo escondida atrás dessa peça de metal. Só consegui tirar essas duas fotos, assim q ela percebeu se escondeu rapidamente e não saiu mais. Ela é menor que uma aranha-marrom, porém maior que as vermelhas domésticas. Como aqui em casa recentemente encontrei duas espécies venenosas, a primeira uma aranha-marrom, e recentemente uma viúva-marrom que vc identificou. Fico preocupado e queria saber se esta é apenas uma aranha doméstica sem perigo ou não. Desde já te agradeço, e parabenizo pelo bom trabalho que vc faz.
Eliseu de Maricá, Rio de Janeiro.
     Eliseu, esta é uma aranha-cuspideira Scytodes fusca (Scytodidae), ela é comum em ambientes domésticos, não representa perigo e é capaz de capturar uma aranha marrom com relativa facilidade.
     Elas são assim mesmo: quando alguém se aproxima, se escondem rápido, quando uma presa em potencial surge, eles aparecem com a mesma velocidade que sumiram e cospem nela uma substância viscosa que imobiliza e atordoa a presa, antes de dar a mordida final. Esta é uma fêmea e eu tenho a impressão que elas só tecem teias quando estão pra botar ovos.
     Obrgado, Eliseu.

Lagartas Isognathus em São Paulo

OI, Todo ano essa lagarta aparece no meu mé de Alamanda rosa (Allamanda blanchetti), mas somente algumas (em torno de umas 10). Esse ano apareceram muitas, mais de 80 e acabaram como coitado. Quando elas saem da planta para encapsular percebo que ficam muito lentas, as vezes morrem no caminho sem chegar em nenhum ponto onde possam terminar o ciclo. Elas não grudam nas paredes como fazem as lagartas do coqueiro, mas ficam no chão em baixo de alguma coisa que possam cobri-las, como folhas ou terra. A pupa é preta com algumas manchas amarelas e bem brilhante, como se fossem envernizadas. Gostaria de saber que borboleta ela vai virar, pois nunca consegui ver a transformação inteira.
Alexandra de Itapira, São Paulo.
     Alexandra, elas não se penduram, justamente por não serem lagartas de borboletas, mas de mariposa da família Sphingidae, é possível reconhecer lagartas desta família pelo espinho que têm no fim do corpo, bem grande no caso destas. Elas são uma espécie de Isognathus (Macroglossinae: Dilophonotini), provavelmente Isognathus scyron.

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Aranha Cinzenta com Presa em Minas Gerais

Encontrada em lugar úmido, lado azul prateado aparentando ser a cabeça, pequena (por volta de 2 cm)
Adolfo Mattos de Caratinga, Minas Gerais.
     Adolfo, na imagem, uma aranha fêmea da espécie Zosis geniculatus (= Z. geniculata, Uloboridae), uma das poucas aranhas que não produzem veneno, capturou em sua teia um inseto azul-esverdeado-metálico, difícil ter certeza se uma mosca, vespa ou abelha.

Provável Lagarta de Grãos Estocados em Pernambuco

Gostaria de contar com sua preciosa ajuda para identificar e acabar com esses insetos que estar aparecendo na minha cozinha precisamente no teto.
Moro numa casa que possui rede de esgoto dentro do padrão, minha cozinha é toda na cerâmica, minha casa é toda murada, resido a mais de 2 anos é uma casa nova, porém nos últimos dias tem aparecido esses insetos conforme foto em anexo.
Diante desses fato conto sua valiosa orientação
Atenciosamente
Josivan Batista Alves de Vicência (Pernambuco?)
     Josivan, bichos muito pequenos, que não  podem ser vistos com detalhes, podem nos trazer grandes surpresas, mais ainda podem nos trazer os estágios larvais. Esta me parece ser a lava de uma pequena mariposa. Microlepidópteros que se desenvolvem em grãos estocados são os mais suspeitos, posso citar 
Pyralis farinalis, Ephestia kuehniella, Ephestia elutella ou Plodia interpunctella, todas produzem pequenas mariposas da família Pyralidae e podem vir de grãos estocados ou farinha, se tiver animais, podem estar na ração, alpiste para passarinho é um bom palpite, descartando a fonte você não terá mais problemas com elas.
     Estas lagartinhas não trazem doenças.

Barqueiro Corixídeo em São Paulo

César envio um hemíptera encontrado em água doce. Infelizmente só fotografei a parte ventral. Arrisca a família ao menos? 
Obrigada e parabéns pelo site!
Cecí de Sorocaba, São Paulo.
Olá mais uma vez, Cecí, arrisco sim, ele é um barqueiro da família Corixidae, que podem ser diferenciados de Notonectidae, por terem as pernas dianteiras e o rostro curto. Normalmente, corixídeos nadam com a barriga pra baixo, enquanto os notonectídeos nadam com a barriga pra cima. É possível determinar o sexo pela presença de órgãos estridulatórios nos machos.

Pode-se ler mais sobre eles em Planeta Invertebrados.

Aranha na Couve-Flor em Santa Catarina

encontrei essa aranha toda encolhida dentro de uma couve-flor orgânica que comprei. já tinha manuseado a couve-flor umas 4 ou 5 vezes num período de 2 dias e não tinha notado nada de estranho. até que fui chegando mais no centro dela e vi um negócio preto e fui verificar. era uma aranha imóvel, parecia até morta. mexi com a pontinha da faca pra ver se ela respondia e nada, então peguei a flor aonde ela estava, arranquei e com ela ainda sobre a flor expus ao sol. foi nesse momento aonde ela ganhou vida instantaneamente. ai ela começou a andar e eu fiquei com um certo medo de mexer nela de novo. ela esta agora no telhado de uma garangem que tem bem em frente a ´porta da minha casa. fiz mto errado? ela tem as pontinhas das patas pretas e brilhantes, como sapatos lustrados! e tem um tom marrom avermelhado. o tamanho do corpo(sem as patas) é aproximadamente do meu dedinho.
Pinke de Florianópolis, Santa Catarina.
Pinke, não acho que tenha feito muito errado por que eu sempre peço que solte mesmo, mas no local onde foi solta, é fácil ela voltar pra dentro de casa, principalmente no frio do inverno no sul do Brasil.

Infelizmente, não consigo determinar com segurança por esta imagem, ela tanto pode ser uma Phoneutria sp. (Ctenidae), conhecidas por armadeiras, perigosas, como pode ser uma aranha da família Sparassidae. Se fosse possível ver os olhos dela na imagem, ficava fácil. Talvez você possa reconhecê-la pelas imagens dos links.

 Se você ainda a vir, o que acho difícil, peço que tire mais fotos dela.

Atualização Set./2.017: Revendo s não identificados, hoje me parece claro que é uma armadeira.

Mariposa Ophisma em São Paulo

Oi César!
Achei essa mariposa dentro de casa, uma coisa que achei interessante é que ela tem um pontinho reflexivo que era revelado quando eu disparava o flash (iluminava os olhos e o tal pontinho). É comum esse tipo de estrutura? E será que tem alguma função vantajosa p mariposa?
Tami de Altinópolis, São Paulo.
Tami, pesquisei bastante mas não consegui determinar o gênero desta. Ela é Erebidae, Noctuidae na classificação tradicional. O ponto reflexivo no tórax eu não sei a explicação, mas sabe se isso ocorria dos dois lados? Não creio que seja uma estrutura funcional do inseto.

Atualização Jun./2.020 - Jefferson Coelho: César, essa aí parece do gênero Ophisma (Catocalinae), talvez Ophisma tropicalis.

domingo, 27 de julho de 2014

Ninfa de Barata Gigante no Rio Grande do Sul

Oi!!!
Anda fazendo muito frio aqui no sul, e após colocar umas lenhas no fogão encontrei esse inseto gostaria que me ajudassem a identificá-lo, gostei muito dele muito diferente, pena que não posso cuidá-lo. vou largá-lo novamente na natureza
obrigado
Roberto Alexandre Trevisan de Caxias do Sul, Rio Grande do Sul.
Roberto, sera interessante ver a dorsal com mais nitidez. Esta é uma barata da família Blaberidae que são, em geral, baratas de grande porte. De qualquer forma, embora algumas espécies produzam adultos sem asas, esta me parece uma ninfa. Compare com esta Monastria sp. (Blaberinae) em vista dorsal e ventral. Esta outra espécie pode dar uma ideia de como elas mudam, ao atingirem a fase adulta.

Os adultos são o ideal para tentar uma boa identificação de gênero.

Atualização Nov/2.015 - Vitor Tarli: Bem parecida com uma Monastria mesmo, realizo meu doutorado com esse genero de barata, tenho muito interesse em saber a distribuição dele. Estou estudando a diversificação na MA e revisando as espécies

Borboleta Hesperiídea no Ceará

Olá Cesar, por favor queria a identificação desta mariposa que encontrei no meu quarto. Parecia que ela não estava conseguindo voar muito, talvez por algum problema em uma das asas. Obrigado e até mais!
Lucas Laybs de Paraipaba, Ceará.
          Lucas, esta não é bem uma mariposa, mas uma borboleta da família Hesperiidae. Neste exemplar pouco distinto, prefiro não dar palpite abaixo da subfamília Pyrginae, você pode ver algumas semelhantes na galeria de Learn About Butterflies. Ela tem pelo menos uma asa direita danificada, possivelmente o que a impede de voar bem.

sábado, 26 de julho de 2014

Caranguejeira Iridopelma no Rio Grande do Norte

Achei essa pequena aranha que mede cerca de 5 cm em um pé de romã em meu sitio, e queria saber se ela é perigosa e se cresce muito, em algumas patas parece que ela esta usando "pantufas" que refletem a luz
Aguardando resposta!!!
dia da foto:20/07/2014
Ítalo de Natal, Rio Grande do Norte.
      Ítalo, esta é uma aranha-caranguejeira Mygalomorphae: Theraphosidae, não me aventuro muito neste grupo, mas esta me parece um spiderling de Avicularia sp. Elas não são perigosas e não ficam grandes; elas ficam enormes.
     Se pretende criá-la, eu sugiro que leia este artigo em Aracno Hobby Brasil.


Atualização 16/08/2.014 - Jean: olá, Cesar, só uma correçãozinha, essa é uma Iridopelma sp. (Aviculariinae), fiquei meio na dúvida pq se parece muito com a Avicularia diversipes qdo ling.
haha :)

Lagarta Isognathus no Rio de Janeiro

Olá César, pode me ajudar a identificar essa lagarta? Duas vezes por ano, elas aparecem numa planta que tem no meu quintal. Particularmente as acho lindas, são uma obra de arte. Por outro lado, depois que se transformam em mariposas, não são tão bonitas. São mariposas de asas estreitas, corpo gordo e as cores variam entre o marrom e o preto. Desde já agradeço, e gosto muito do seu site, tenho sempre visitado e visto as postagens das outras pessoas, e aprendo muito com suas explicações. Parabéns!
Eliseu de Maricá, Rio de Janeiro.
      Eliseu, gosto muito das mariposas da família Sphingidae, por terem um tamanho bacana e serem fáceis de se manusear, mas concordo que os adultos de Isognathus caricae não esteja entre as mais atraentes. O tigrado das asas inferiores porém é muito bonito, elas normalmente permitem que se levante as asas superiores pra dar uma olhadinha. Esta imagem mostra as três fases reunidas.
     Obrigado, Eliseu.

Ninfa de Percevejo Predador na Paraíba

Foto retirada em Taperoá, Paraíba, região de caatinha no cariri paraibano
Daltêir de Recife, Pernambuco.
    Daltêir, esta é uma ninfa de percevejo-predador da família Reduviidae, ele vai mudar bastante na fase adulta, aí será o ideal pra dar um palpite de gênero. Não sei o que eu tinha visto pra dar um palpite anterior de Arilus sp., creio que ele esteja mais pra Zelus sp. (Harpactorinae).