sexta-feira, 29 de julho de 2016

Mosquinhas no Rio de Janeiro: Phoridae sp.

Boa tarde moro no rio de janeiro e começou em 2014 uma infestação severa desses bichos que entravam por frestas mínimas das janelas e se multiplicaram ao dormir vinham aos montes em cima da cama voando e andando e nenhum spray matava .paguei 3 detetizaçoes e após dias morriam secos anos montes dentro de casa mas 2 anos se passaram ao ponto de eu ter q ir p casa da mi há mãe. Eis que voltei p casa pus tela em tudo e os bichos voltaram entrando de novo aparecem do nada...nao se achou casulo .ja o vi uma vez em uma calha abaixo do telhado.minha case e de laje e amanha vou pedir. Alguém subir no telhado p ver se acha alguma coisa...ja estou desesperada pois entram tela e picam. Deixando empolado e com coceira.
Daniela Gomes do Rio de Janeiro.
Cesar: Daniela, sem toda a certeza mas, aparentemente, é um borrachudo. Existe algum córrego por perto?

Daniela: Olá , inicialmente eu achei que fosse, mas o borrachudo acho que não tem aquela parte final igual da abelha e vespa, por onde sai o ferrão.

Cesar: Você tem razão quanto à presença de ferrão, se possuir, não pode ser borrachudo e eu estranhei isto de início. Mas pelo menos pela foto, é difícil ter certeza de que não se trata do último par de pernas. Se for possível fotografar com lentes de aumento ou câmera macro, eu gostaria de ver.

Daniela: Boa tarde. O pedreiro esta mexendo no telhado e começou a sair e vir p chão um monte destes insetos.consegui matar e tirar foto de alguns acho q estas estão melhores. Ja nao sei mais o que fazer ou remédio p colocar pq nao achamos o foco ainda.
Daniela, embora ainda não haja a nitidez necessária pra te dar uma certeza, eu agora tenho quase toda a certeza de que se tratam de mosquinhas da família Phoridae. Sendo mesmo "mosquinhas" elas não possuem ferrões, apesar de sues órgãos alongados (1, 2).

Achei estranho que elas estivessem picando, há fontes que realmente dizem que não o fazem, mas encontrei outras duas dizendo que sim, podem picar (1, 2), incluindo a espécie Megaselia scalaris, que pode ser considerada nociva por ser vetor de patógenos e causadora de miíase ou benéfica por parasitar carrapatos e barbeiros.

Estas mosquinhas vivem em uma variedade muito grande de ambientes, mas as mais comuns gostam principalmente de matéria orgânica em decomposição. Elas não fazem ninho, encanamento, carniça, fezes de animais, ninhos de formiga ou cupins são locais possíveis para enfestarem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário